Doenças da Adrenal

Doenças da Adrenal

Quais são os hormônios produzidos pela adrenal?

Os principais hormônios formados na adrenal são o cortisol, adrenalina e outro hormônio que chamamos de aldosterona. Outros hormônios como parte dos hormônios masculinos (DHEA, DHEA-S, androstenediona e testosterona) também são sintetizados na adrenal. O DHEA e DHEA-S são produzidos exclusivamente na glândula, enquanto androstenediona e testosterona também apresentam formação em outros locais (testículos e ovários, por exemplo).

Onde fica esta glândula?

Como o próprio nome diz fica perto do rim. Normalmente possuímos duas glândulas (uma de cada lado), caso haja falência ou retirada cirúrgica de uma, a outra restabelece a função.

Como são as alterações que a adrenal pode apresentar?

As alterações podem ser tanto de pouca produção hormonal (deficiência) ou de excesso de produção do hormônio. A seguir veremos com mais detalhes cada uma destas situações.

Como são os sintomas da deficiência adrenal?

Os sintomas são gerais e normalmente se manifestam como cansaço, fraqueza e sonolência excessiva. Também ocorre queda da pressão arterial e pode haver vômitos. Os pacientes normalmente emagrecem bastante. Pode haver escurecimento da pele e mucosas (gengiva), assim como de cicatrizes (mas que foram formadas apenas após a falência da glândula). Nos casos de instalação rápida (insuficiência aguda) medidas médicas urgentes devem ser tomadas, pois há risco de vida.

Quais são as causas mais comuns de deficiência?

As causas mais comuns de deficiência são por retirada cirúrgica (quando por algum motivo precisa-se tirar a glândula), ou quando há algum problema na função da glândula que estimula a adrenal (hipófise) ou ainda quando ocorre um processo de “destruição” da adrenal por produção pelo próprio organismo de anticorpos que acabam por “atacar” a glândula (acham que a glândula não faz parte do corpo).

Existe associação da deficiência glandular pela produção de anticorpos com alguma outra doença?

Sim. Em alguns casos pode fazer parte de uma síndrome que se chama “Síndrome Poliglandular Auto-imune”, que seria a produção de anticorpos que “atacariam” partes diferentes do organismo, como a tireoide (levando a hipotiroidismo por Tiroidite de Hashimoto), contra a pele (vitiligo), contra o ovário (levando a menopausa precoce por exemplo), contra o pâncreas (diabetes tipo 1), contra o glúten (doença celíaca) e uma série de outras doenças.

E nos casos em que há muita produção de hormônio pela adrenal, o que a pessoa sente?

Vai depender de qual hormônio está em excesso. De uma forma simplificada:

  • Excesso de cortisol: levaria a uma doença que chamamos de Síndrome de Cushing (com várias características específicas como estrias grossas violáceas, obesidade central, pressão alta, entre outros).
  • Excesso de adrenalina e noradrenalina: leva a quadro de pressão alta de difícil controle, com episódios de mal estar recorrentes, com sudorese (suor). Nestes casos são tumores (produção exagerada de um tipo de célula) que chamamos de feocromocitoma.
  • Excesso de aldosterona: quadros de pressão alta
  • Excesso de hormônios masculinizantes: na mulher ocorre o que chamamos de virilizacão (excesso de pelos, acne, queda de cabelos importante, engrossamento da voz). Também pode ter elevação dos outros hormônios.

E como são tratados os distúrbios de falta ou excesso de hormônios?

O tratamento é bastante complexo, mas de uma forma simplificada, na falta do hormônio (insuficiência adrenal) fazemos a reposição e nos casos de excesso indica-se normalmente o tratamento cirúrgico e em alguns casos específicos, tratamento clínico com medicamentos.

Tema(s) relacionado(s):