Diabetes gestacional

Diabetes gestacional

Atualmente, as alterações glicêmicas são as anormalidades endocrinológicas mais comuns na gestação. Pode chegar a 13% de ocorrência. No Brasil, estima-se, em média, ocorrência de 7,6% de diabetes gestacional.

O que seria pior: o diabetes pré-existente ou o diabetes gestacional?

O diabetes gestacional, por definição, é decorrente da gestação. De uma forma geral, o diabetes que existe antes da gestação (tipo 1 ou tipo 2) tende a ser pior com controle mais dificil.

Qual a fase da gestação que, geralmente, ocorre o diabetes gestacional?

O diabetes gestacional é mais comum na segunda metade da gravidez.

Quais seriam as mulheres "em risco" para desenvolver diabetes gestacional?

Mulheres com idade avançada ou que ja tiveram diabetes gestacional previamente tem maior chance de desenvolver diabetes gestacional. Aquelas com excesso de peso antes da gravidez ou que apresentem um aumento expressivo de ganho de peso durante a gestação também estão sob maior risco.

Quais os efeitos adversos do diabetes sobre a gestante?

Pode ocorrer polidramnio (aumento da produção de líquido amniótico), maior risco de parto prematuro, infecções urinárias e candidíase, maior frequência de cesarianas e maior risco obstétrico.

Qual o tratamento do diabetes gestacional?

Consiste em alimentação mais regular, com baixa ingestão de carboidratos (açúcares) e redução na velocidade de ganho de peso. Em alguns casos, faz-se necessário o uso de medicações.

Qual medicação é mais usada para o tratamento do diabetes gestacional?

Embora estudos recentes tenham demonstrado uso seguro de medicação oral (glibenclamida e metformina) a partir do segundo trimestre, a insulina ainda continua sendo a melhor escolha.

E o tratamento das pacientes que já eram diabéticas antes da gestação?

O ideal seria que a gestação fosse planejada com o controle adequado previamente.


Tema(s) relacionado(s):